2 de agosto de 2017

Criança Vegetariana? Pode?


Em 2012 o Conselho Regional de Nutricionistas (CRN-3, 3ª Região; SP e MS) divulgou um parecer sobre o Vegetarianismo. Dentre as várias informações este documento admite e recomenda que as dietas vegetarianas podem ser adotadas em qualquer ciclo da vida, inclusive na infância.

Pelo Instagram conheci a Naysa Menegatto de Sorocaba-SP, 28 anos, casada, jornalista por formação, colunista no blog Bonita Adventista e mãe da Dora. Me chamou muito a atenção as comidinhas vegetarianas da Dora que ela postava. Compartilho com vocês um pouco da experiência dela na criação de uma criança vegetariana.

Naysa e Dora

Vamos a entrevista!

Durante a gravidez como foi a sua alimentação?

Minha alimentação é essencialmente ovo-lacto-vegetariana. Me esforço bastante para minimizar o uso de derivados do leite, mas na gravidez senti muita vontade de alguns derivados, como iogurte, e me permiti comer. Mas sei dos malefícios, então foi realmente uma fase. Mas sempre opto por alimentos mais naturais, muitos vegetais e legumes. 

Você tomou algum suplemento (por exemplo vitamina B12)?

Não tomei suplemento de B12 nem antes, durante e depois, mas sempre faço acompanhamento, então meus níveis estão sempre sendo checados. Como não havia necessidade não suplementei. Sei que em muitos casos é necessário, e temos que cuidar mesmo. 

Você teve algum problema de saúde durante a gravidez?

Tive uma gravidez muito tranquila, saudável e fora os enjoos nos primeiros meses, tudo correu muito bem

 Por quanto tempo você amamentou a Dora? Você deu apenas o seu leite para ela ou ela já tomou outros tipos? Quais?

Dora tem 1 ano e 3 meses nesse momento, e ainda mama. Pretendo continuar até quando for bom pra nós duas. Ela nunca tomou complementos, porque tenho bastante leite. Com a introdução alimentar ela já provou leites vegetais, mas não como base de alimentação. O mamá ainda é sagrado aqui em casa


Porque você decidiu criá-la com a dieta vegetariana?

Sei que a dieta vegetariana estrita é a mais saudável, não tenho nenhuma dúvida. Mesmo que eu não consiga ainda ter essa dieta em 100% da minha alimentação, continuo desta forma com as comidinhas dela, pois sei que é meu dever como mãe dar o meu melhor e criar hábitos saudáveis para uma vida. Ela é um livro em branco e eu tenho o privilégio e a responsabilidade de escrever as primeiras páginas. 

Durante o período de amamentação, você teve alguns cuidados especiais com a sua alimentação? Quais?

Ainda amamento e nos primeiros meses fiquei sem feijão, derivados do leite, para evitar as temidas cólicas. Ainda hoje evito comidas muito condimentadas, apesar de gostar de uma pimentinha, me seguro. Desde a barriga a criança começa a sentir o sabor das coisas através do líquido amniótico, e comer variedades ajuda a construir o paladar. Continuo fazendo isso e acredito que funciona. 

Dora fazendo sua refeição

Com que idade ela começou a comer outro tipo de comida? Fale um pouco sobre essa transição.

Começamos a introdução alimentar aos 6 meses. No começo ela rejeitava as coisas pelo simples fato de não saber o que fazer com o alimento. Pensa: a criança fica 6 meses mamando e do nada vem uma colher com uma frutinha amassada. Ela cuspia, mas eu insisti. Como num passe de mágica ela começou a entender e comer. Comecei pelas frutas, depois legumes fáceis de digerir, adicionei os tubérculos e legumes, finalmente os grãos e depois tofu, cogumelos...  a única coisa que ela ainda não gostou foi mamão, mas de resto, come de tudo!!!! É uma draguinha. Rsrsrs 

Além de não consumir alimentos de origem animal quais outros cuidados você adotou em relação à alimentação da sua filha?

Ela ainda não comeu nada de farinha de trigo, produtos processados, refinados, e nem preciso falar do açúcar né? Zero açúcar. rs não ofereço sucos concentrados pra ela, pois acredito que não é necessário, sendo que ela pode comer a fruta com suas fibras e não ter picos glicêmicos. Ela bebe água, água de coco e suco verde. E acredite, ela ama suco com espinafre, couve, beterraba... essas coisas naturebas.


Quais os maiores desafios que você enfrenta socialmente falando por criar sua criança com uma dieta vegetariana? Você recebe muitas críticas?

Sempre tem alguém que acha exagero não oferecer produtos de origem animal, não oferecer nada que contenha açúcar, nem aquele biscoitinho de maisena? Me falam às vezes. Mas respiro fundo e sigo em frente, afinal, se fosse fácil, todo mundo fazia. Eu escolhi trilhar esse caminho, o caminho da saúde, quero apresentar um mundo de sabores pra minha filha e que ela saiba apreciar tudo isso.

Como reage o profissional de saúde que acompanha o desenvolvimento da sua filha com o fato da criança ser vegetariana?

A pediatra que acompanha a Dora não tem preconceito e é mente aberta mesmo. Quando falei pra ela sobre não dar carne e nada de origem animal, ela simplesmente me pediu para sempre oferecer os grãos e castanhas em variedade. Ou seja, ela entende do negócio! Sabe que no simples, você consegue suas proteínas, vitaminas e minerais. 

 A Dora já ficou doente? Com o quê? E como se curou?

Dora nunca ficou doente. Já teve febrinha por causa dos dentes que nascem, mas nada além disso. 

Em relação à vitamina B12 você tem alguma atenção especial? Qual?

Já fizemos exame e até agora ela não apresenta nenhuma carência. Quando precisar, suplementaremos com certeza.


Você considera que sua filha é uma criança saudável e bem integrada no meio que a envolve? O vegetarianismo dificultou ou favoreceu isso de alguma forma?

Como toda criança, ela ama crianças. Convive de forma saudável com todos. Nunca enfrentamos situações tensas no meio em que vivemos, a maioria entende e respeita.

Quando a Dora for para a escola, para que ela tenha uma alimentação vegetariana o que você pensa fazer?

Estou tentando viver um dia de cada vez para não sofrer por antecipação. Mas se ela estiver instruída, saberá tomar decisões, e não quero ter muitas neuras. Vou fazer de tudo até quando eu puder. Quero confiar que meu esforço vai garantir uma vida saudável pra ela.

Você já pensou sobre o que irá fazer quando ela quiser experimentar um alimento de origem animal por curiosidade ou influência de outros?

Sei que ela vai comer besteira vez ou outra, que quando for pra escola vai experimentar, que ela pode simplesmente virar pra mim um dia e falar: Mãe, quero comer carne, até porque aqui em casa eu não como carne mas meu esposo come. Lido bem com isso, não imponho nada. Não acredito nesse tipo de persuasão. Mas veja bem, um bebê ou criancinha não tem as ferramentas necessárias pra essa tomada de decisão. Ele precisa ser guiado, instruído, só porque um bebe fala que quer não quer dizer que ele sabe o que está dizendo. Acredito que precisa existir um nível de consciência e entendimento antes disso. Então precisamos ensinar. É isso que eu pretendo fazer. Ensina a criança no caminho em que deve andar, só isso. 

 O que acontece quando vocês são convidados para alguma festinha de aniversário onde a maioria das comidas não são vegetarianas?

Eu ando com comida pra todo lado. Peço comida sempre. Levo biscoitinho de arroz integral, frutinhas picadas, invento comidinhas parecidas com as "malignas" mas que sejam saudáveis... mas consigo fazer isso porque ela ainda é bebê e meu propósito é que ela não coma nada de açúcar até os dois anos. Depois, não vejo problema em liberar um docinho em uma festinha, a criança vai saber que aquilo é exceção. Já quanto à carne, vamos continuar sem até ela poder tomar a decisão, e não vai ser tão já! Hahahahaha 

De forma geral fale o que a Dora come em suas refeições. 

Dora come de tudo. Mas claro que tem preferências já. Ama banana e mingau de aveia no café da manhã, os sucos verde, feijão com arroz integral, guacamole, ama tofu e cogumelos, creme de mandioquinha, ahhh, e brócolis, ela AMA brócolis. 

Comidinha da Dora

Deixe um recado de incentivo para os pais.

Aos pais, digo: invistam na saúde de seus filhos. Isso é feito com alimentação. Não é tão trabalhoso quando parece. A Alimentação vegetariana é simples, saborosa e supre todas as necessidades nutricionais. Mesmo quem come carne, tente introduzir alimentos mais naturais para seus filhos, diminuir o consumo de carne, mas quero dizer que se você declarar guerra ao açúcar, você já está fazendo a melhor coisa para a vida do seu filho, fortalecendo seu sistema imunológico e tirando um vício terrível para o futuro. Se você não teve um começo legal na introdução alimentar, não tem problema, começa de onde está, o importante é mudar. Se preocupar com a Alimentação do seu filho é uma prova de amor pra vida toda! 

Muito obrigada Naysa por sua colaboração, é muito bom ver exemplos de pais que conseguem criar seus filhos de forma diferenciada. Eu adorei! E vocês pais?  



1 comentários:

  1. Parabens para Naysa Menegatto e sua filhinha Dora, uma graça de menina!!!

    ResponderExcluir

 

Naturebices da Elen Template by Ipietoon Cute Blog Design